Logon

​​​​Procedimentos de Início de Ano e Semestre Letivo no SIGE

 
 
Os itens a seguir mostram os passos importantes que a unidade escolar deve se basear em cada começo de ano ou semestre letivo, a revisão dos itens é importante para garantir que todos os cadastros estarão prontos na utilização do SIGE durante o período letivo. Os itens estão descritos passo a passo conforme podem ser revisados ou realizados pela unidade escolar ao ​começar um ano ou semestre letivo no SIGE. 

 
Se a escola utiliza ensino e turmas semestrais também realiza essas atividades.

1 - Ativação do Ano e Semestre Letivo

Para ativar o ano e o semestre no SIGE os cadastros no reordenamento devem estar prontos, o curso e a série devem estar autorizados pela equipe gestora (Estado: GEARE; Município: Suporte do SIGE).
A ativação é realizada no SIGE no lápis período letivo.

 

 
Importante: Mesmo a escola sendo de ensino anual, ela deve ativar os semestres.

 

2 – Cadastro das Turmas

O cadastro das turmas, dependem da autorização realizada pelo reordenamento, se as turmas já foram liberadas é só então cadastrar. Caso contrário entrar em contato com a equipe gestora para solicitar a liberação.
Se as turmas já foram cadastradas (ex.: turmas anuais) deve-se solicitar somente uma liberação para o novo semestre em vigência.
O cadastro de turmas também é usado no programa diário do professor.

 
2.1 – Verificar Turmas Liberadas
Se as turmas não foram liberadas, entrar em contato o com a​ equipe de gestão do reordenamento
(Estado: GEARE; Município: Suporte do SIGE)

 
Importante: Se a escola trabalha com turmas anuais, é necessário que seja feito no reordenamento uma liberação para o semestre seguinte, assim a escola continua trabalhando com as turmas do semestre anterior. Exemplo: Turma do 1º semestre par ao 2º semestre.

 
2.2 – Verificar Turmas Cadastradas
Se as turmas estão ok, podemos continuar com o trabalho, se as turmas estiverem com alguma divergência deve ser verificado o motivo e pedir correção. Você pode identificar as diferenças revendo os cadastros das turmas que estão divergentes.

2.3 – Trocar Situação das Turmas
Se houver necessidade de trocar a situação da turma, a modificação deve ser realizada primeiro no SIGE para posterior pedir alteração no reordenamento e fazer um cadastro de uma nova turma.

 

 

3 – Composição de Ensino

A composição de ensino deve ser revisada, se tiver necessidade de mudança refaça de acordo com as autorizações concedidas para a unidade escolar.

 

4 – Matriz Curricular

Matriz curricular é o cadastro das disciplinas que serão trabalhadas na unidade escolar no período letivo. Desse cadastro dependem outras partes do sistema, por exemplo: a partir da matriz dependem as modulações dos professores que envolvem as disciplinas e outros cadastros. A escola deve conferir a matriz recebida e certificar-se que o cadastro está ok, se houver alterações, realiza-las antes de usa-la em qualquer outro cadastro.  Se a escola estiver começando o período letivo, conferir a matriz recebida e fazer o cadastro no SIGE.
Veja alguns itens que podem ser considerados na matriz:

 
4.1 – Composição, Série e Turno
A matriz é cadastrada, uma para cada composição, série e turno.

4.2 – Disciplina
Na matriz inserimos as disciplinas que serão usadas para compor o quadro de disciplinas que deve ser igual ao documento recebido. Não use disciplinas que não estão registradas no documento da matriz curricular.

 
4.3 – Carga Horária
A carga horária da matriz muda de acordo com a composição de ensino. Existem composições que cadastram uma só carga horária e outras que devem ser cadastradas por disciplinas.

 
4.4 – Base Diferentes
Existe uma base de disciplina de acordo com a composição de ensino, para cadastro correto, veja o documento recebido para a unidade escolar. Exemplo: Base Nacional Comum, Parte Diversificada, Disciplinas Opcionais e outras.

 

5 – Critério de Avaliação

Os critérios de avaliação devem ser revistos a cada mudança de ano ou semestre, se houver necessidade de alteração pode faze-lo. Eles definem os dados corretos para avaliar os alunos com notas e frequências e definem a situação final do aluno.
O critério de avaliação depende das composições de ensino. 

 

6 - Modulação de servidor

A modulação do servidor é um dos passos também importantes. Ela define os professores para cada disciplina e turma da escola no período letivo. Alguns cadastros dependem da modulação correta do servidor (usamos esses dados no SIAP, no programa Reconhecer). A modulação segue alguns passos, veja a seguir:

 
6.1 – Admissão
Faz referência de quando o servidor entrou na rede por concurso ou por contratos. É comum no cadastro da admissão não colocar data fim enquanto o servidor não foi exonerado ou não possui mais o concurso através de outros meios.

6.2 – Cargo
Faz referência ao cargo adquirido pelo servidor ao entrar na rede, nesse campo também não é comum a data fim, pois  inserimos esse dado somente quando foi finalizado ou houve mudança de cargo.

6.3 – Função
A função é cadastrada depois dos itens anteriores, nesse campo informamos ao sistema qual a função do servidor na unidade escolar. Todo funcionário deve ser modulado com uma função. Algumas funções dependem de carga-horária da atividade. Ela também define se esse servidor estarão presentes em outros programas, exemplo: Programa Reconhecer e SIAP.


6.3.1 – Modulação com Carga Horária
A caga horária é definida para cada tipo de função, por exemplo: os professores são incluídos em cada turma e turno, aula por aula, até completar a carga horário da atividade.

6.3.2 – Complemento
Em complemento, informamos dados que não é possível cadastrar na carga horária. Por exemplo, professores que não possuem uma disciplina ou turma cadastrada específica, que complementam o horário em turnos diferentes.

6.4 – Cadastro de Servidor
O cadastro serve para alterar algum​ cadastro de servidor da unidade como também adicionar novos. Ao consultar um CPF de um servidor e o sistema não permite alterar os dados dele, devemos seguir com a modulação antes de fazer qualquer alteração.


Depois dos cadastros prontos, o que chamamos de parametrização e configuração do sistema, passamos para o recebimento dos alunos e movimentação dos alunos e demais atividades da unidade escolar.

​7 - Manutenção de Aluno

Chamamos o processo de receber os alunos na escola de manutenção de alunos. Esse processo só termina depois que os alunos já estão nas turmas conforme foram solicitados durante o período de matrícula (matrícula informatizada: callcenter ou internet) ou por processo de recebimento durante todo o período letivo.
Também faz parte da​ manutenção de aluno a atualização da ficha cadastral e da coleta de documentos dos alunos de cada unidade escolar.
O cadastro de recebimento do aluno é feito no SIGE no lápis aluno função manutenção. A função possui dois subitens. veja a seguir:​​

 
7.1 - Novo Aluno
Entendemos como novo aluno aquele que nunca passou pela rede estadual de ensino, para uma melhor compreensão um aluno que não possui matrícula da rede.

7.2 - Aluno da Rede
Entendemos como aluno da rede aquele que já possui um cadastro com um número de matrícula. A rede de ensino hoje abrange tanto Estado como Município, assim alunos proveniente da rede municipal que utiliza o sistema SIGE também é considerado como aluno da rede, porque já possui número de matrícula. 

8 - Ficha do Aluno e Documentos

Ainda dentro do processo de manutenção, temos a atualização da ficha do aluno. Essa atualização serve para manter o cadastro do aluno na unidade escolar o mais completo possível. Quanto mais completa essa ficha, melhor é o cadastro dos alunos. Os dados dos alunos servem para vários outros cadastro no SIGE, e também para um passo fundamental, os dados do Censo Escolar.

 
A ficha do aluno é dividida em 5 parte compreendidas em Dados pessoais, Endereço, Dados Familiares, Documentos e Documentos Escolares.
Manter esses cadastros atualizados e totalmente preenchidos é essencial.

 

9 - Ajustes na Enturmação​ e Outros

Os ajuste na enturmação é melhor usado e indicado no início de cada período letivo. Pois nessa etapa podemos modificar os alunos de turmas sem prejudicar o andamento das atividades letivas.
Outras funções podem ser utilizadas nesse período para organizar a escolas para as atividades de início de ano e semestre.
Veja a seguir:

9.1 - Ajuste de Enturmação
A função pode movimentar os alunos entre turmas sem a necessidade de desalojar e enturmá-los novamente. Esse ajuste deverá ser feito, de preferência, antes do início das aulas, NÃO SE TRATA DE REMANEJAMENTO, pois esta função só é permitida caso o aluno não possua nenhuma movimentação (cadastro de notas, frequências diárias, troca de situações e outros). Após o início das aulas, o aluno já possui movimentação utilize a função REMANEJAMENTO.

9.2 - Cancelamento de Ma​trícula
Durante as etapas da matrícula, alguns alunos são alocados na unidade escolar, porém não comparecem para estudar. Outra situação é quando os alunos que efetivaram sua matrícula, porém ficaram reprovados no ano anterior. Para resolver estas duas situações, utilize a função CANCELAR MATRÍCULA que deverá ser utilizada, SOMENTE, em casos em que o aluno desistiu da série/curso e não possui NENHUMA MOVIMENTAÇÃO​.
 

 

 Comentários (é necessário logar com seu usuário e senha da Seduc)

Última modificação à(s) 12/01/2015 09:49 por Adoniran Dias Ribeiro Andrade
Classificação:
© 2015 Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte. Todos os direitos reservados.